As pequenas e médias empresas formam a base da indústria metalomecânica. Esta indústria é constituída por oficinas e fabricantes de componentes que utilizam inúmeros processos de fabrico. Em alguns casos, estas empresas são especialistas de um determinado tipo de processos. O sector Metalomecânico utiliza, muitas vezes, um processo de produção descontínuo, peça a peça. A produção de peças de grandes dimensões obriga a uma atenção maior com a gestão do tempo e dos custos. Por vezes, a produção das peças é bastante demorada, passando o processo de transformação por várias pessoas e várias máquinas e a má gestão das máquinas e da mão-de-obra pode aumentar os custos do produto.

Com o software de gestão industrial SISTRADE estas questões são ultrapassadas através de um controlo eficaz dos centros de trabalho e uma recolha de dados fabril eficiente. Assim, a Indústria Metalomecânica passa a dispor de ferramentas de gestão e controlo de projectos para melhorar a sua competitividade.

CARACTERÍSTICAS FUNCIONAIS

  • Definir dimensões de caracterização dos artigos, como por exemplo, tipo de aço, tipo de material, categoria, entre outras;
  • Definição de árvores de produto, com especificação do projecto e componentes que constituem o trabalho;
  • Definição de gamas operatórias;
  • Incluir fórmulas na ficha técnica (largura x altura X profundidade);
  • Gestão de derivados e desperdícios;
  • Incluir os tempos de preparação, espera e movimentação no planeamento da produção;
  • Gestão de números de série.

 

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS UTILIZADOS NA INDÚSTRIA METALOMECÂNICA

O corte térmico é um dos processos utilizado, no qual uma gama de materiais é separada por oxi-corte, plasma ou corte a laser. O tipo de material, bem como a exigência de preparação para a soldadura, determinam a escolha do processo adequado. Para a soldadura de produtos semi-acabados utilizam-se os processos TIG, MIG, MAG e plasma. Na soldadura MAG, desde que se disponha da devida tecnologia e do equipamento adequado, conseguem-se reduzir os custos de produção através de uma maior velocidade de soldadura e uma elevada taxa de deposição. Como processos adicionais de ligação, são aplicados processos autogénios, tais como a soldadura oxigás, a brasagem à chama. O processo de soldadura a laser é utilizado em aplicações especiais, quando a espessura do material é reduzida e as exigências de qualidade são elevadas ou quando é necessário juntar diferentes materiais. Por vezes, torna-se necessário o aquecimento por chama para pré-aquecer determinados materiais, bem como para a têmpera de zonas definidas ou para reduzir tensões na peça.

A descarnagem - outro processo autogénio - é utilizado antes da soldadura de reparação para remover os defeitos existentes no cordão de soldadura. Um equipamento de descarnagem adequado reduz o risco de defeitos secundários, assim como os subsequentes problemas de soldadura. 

A deformação térmica pode constituir um problema significativo durante o fabrico, especialmente quando se usam processos com calor. O processo autogénio, denominado desempeno por chama, é um método muito eficaz para eliminar empenos. Com a devida experiência e equipamento adequado, o desempeno por chama é muito mais económico do que a produção de uma nova peça.

Por outro lado, a limpeza e a decapagem por chama atingem apenas a parte superficial, e são usadas para remover camadas de ferrugem, tinta ou gordura de grandes superfícies. Em caso de menores exigências para as superfícies, utiliza-se a brasagem forte à chama ou plasma no aplainar de cantos, enchimento de fendas e na brasagem de cobre e latão.

 

Conteúdos Relacionados
CASOS DE SUCESSO
Mais informações

COMECE JÁ A USAR O ERP SISTRADE

- Oferecemos uma solução completa ERP 100% Web -